Falta de tempo X alimentação saudável: aprenda a lidar

Aprenda a vencer o eterno dilema da falta de tempo contra a preocupação em comer bem

O tempo é a moeda de troca mais preciosa dos tempos atuais. E a falta dele faz com que a nossa saúde sempre fique em segundo plano diante de todas as tarefas e obrigações.

A correria muitas vezes as leva a recorrerem aos pratos congelados ou ao fastfood. Pensando nisso, a nutricionista Michelle Inforçatti do Dr. Consulta – Rede de Centros Médicos – listou sete dicas para que a alimentação seja saudável sem fazer com que você perca o seu tempo.

    1. Para não deixar os legumes de fora, você pode limpá-los, cortá-los e congelá-los em porções que serão consumidas diariamente. Dessa maneira, basta tirar do congelador e levar direto ao fogo (não precisa nem descongelar). A melhor maneira de cozinha-los é no vapor, pois preserva grande parte dos nutrientes. Tomate e cebola não devem ser cortados com antecedência. Esses legumes só devem ser cortados no momento em que forem servidos.
    2. Verduras também podem ser limpas e armazenadas em recipientes com tampa ou em saquinhos de congelar (tirar o máximo possível do ar) em porções diárias. Etiquete os recipientes com as verduras que estragam com mais facilidade e que devem ser consumidas no início da semana, como escarola, rúcula, almeirão, alface roxa, crespa e lisa, entre outras. Acelga, repolho e alface americana duram mais tempo e podem ser deixadas para o meio ao fim da semana.
    3. É possível preparar de forma rápida e fácil hambúrguer e almôndegas caseiros e deixá-los congelados para um dia de maior correria na família. Basta comprar frango ou carne moídos, misturá-los com temperos naturais de preferência de cada um (cebola, manjericão, salsa, cebolinha, etc) e um pouco de farelo de aveia para dar a forma desejada. Depois de congelados, podem ser armazenados no freezer por 180 dias. Coloque uma etiqueta no recipiente em que for armazená-los para não se perder na data. Podem ser assados, grelhados ou cozidos em molhos e servem de acompanhamento para um macarrão integral ou mesmo um pão 100% integral.
    4. Para facilitar ainda mais é possível cozinhar o arroz (de preferência integral) com antecedência e congelá-lo também em porções para consumo diário. No dia em que for consumi-lo, par dar uma cara de “arroz novo”, basta misturá-lo com os legumes (quanto mais colorido o prato mais vitamina contém), frango desfiado (que também pode ser cozido, temperado e congelado por 180 dias), um pouco de molho de tomate e levar ao forno com um pouco de ricota por cima para gratinar. Está pronta uma refeição completa.
    5. O omelete pode substituir as carnes na hora de uma refeição rápida e prática. Pode ser feito com tomate, brócolis, espinafre, cenoura, etc e servido com arroz integral e uma salada.
    6. No jantar é possível fazer lanches, mas devemos estar atentos aos ingredientes. O pão deve ser 100% integral, para o recheio usar queijos brancos (minas fresco ou ricota), frango desfiado (que pode ser preparado anteriormente e congelado), patê de ricota com ervas e temperos naturais (para opções lacto-vegetarianas) ou pasta de tofu com ervas e temperos naturais (para opções vegetarianas). Cenoura ralada, folhas verdes e tomate são boas opções para acrescentar ao recheio.
    7. As vitaminas também são boas opções para o jantar para as famílias que têm o hábito de fazer refeições mais leves. Deve-se usar o leite ou iogurte desnatado, bater com frutas a gosto e acrescentar 1 colher de sopa de farelo de aveia para deixá-la ainda mais nutritiva. De preferência, não coá-la e quando possível bater a fruta com casca para preservar a maior quantidade possível de fibras das frutas.