Acabe com os pensamentos negativos com essas atitudes

Você se esforça para manter o resto de sua casa linda e arrumada, não é? Mas já parou para analisar o quanto seus pensamentos negativos estão te afetando?

Essa bagunça também precisa ser arrumada. Preocupações cotidianas e preocupações subconscientes ocasionalmente se acumulam e confundem sua mente. E, mais frequentemente, esses pensamentos negativos e competitivos se tornam também improdutivos; eles apenas distraem você do que está acontecendo no momento e tiram uma energia preciosa de todo o resto que você precisa fazer.

Isso é extremamente desgastante e beira à autocrueldade. Mas felizmente para os que pensam demais, podemos aprender a arrumar a confusão mental e abrir espaço para coisas mais importantes. O primeiro passo é identificar os pensamentos que continuam te atrapalhando e tirar esse poder que eles têm.

Pode parecer difícil, mas com treino e reforço positivo você conseguirá mandar embora os pensamentos negativos e trocá-los por pensamentos positivos, ou que estejam mais próximos da realidade. Não acredita? Então veja só!

Deixe o que passou para trás

Talvez sua sogra tenha se superado com sua mais recente atitude passivo-agressiva, ou um amigo tenha dito algo que causou grande aborrecimento. O que quer que tenha acontecido que tenha sido doloroso vivenciar, ainda faz você estremecer mesmo que semanas já tenham passado. A raiva que você está carregando pode ser compreensível, mas isso te arrasta para baixo. Toda vez que você revê a ofensa ou ensaia um retorno, você desencadeia uma reação de estresse em seu corpo. E isso realmente não é necessário.

Limpe a desordem: expressar seus sentimentos feridos pode ajudar a liberar rancor e seguir em frente. Se você está evitando um confronto, pode ser porque você não espera receber o pedido de desculpas que merece. Há outra opção: rascunhar uma carta e depois jogá-la fora. A parte emocionalmente carregada do seu cérebro que precisa de fechamento não se importa realmente se a outra pessoa está ouvindo ou não. Então, mesmo apenas escrevendo seus sentimentos, você pode começar a superar sua dor.

Pare de esperar sempre pelo pior

Seu lema pessoal é que “se algo pode dar errado, provavelmente dará”? Se sim, saiba que esse tipo de pensamento catastrófico te faz gastar recursos mentais antecipando as transformações ruins dos eventos – digamos, seu filho não passando nas provas, por exemplo, ou o desempenho ruim de sua empresa. A preocupação com potenciais armadilhas pode criar uma espiral de negatividade que é difícil de controlar.

Limpe a desordem: você não pode banir pensamentos intrusivos, infelizmente. Tentar ignorá-los muitas vezes só os torna mais fortes. Mas você pode transformar seus medos a seu favor para que eles sejam úteis. Veja esse truque: imagine o pior cenário possível e faça um plano de ação. Saber que você poderia realmente lidar com um resultado temido pode torná-lo menos assustador. Você também pode deixar que suas dúvidas te empurrem para frente de maneira saudável. Por exemplo: se você está preocupado que uma mancha na pele possa ser melanoma, vá procurar tratamento, ou se estiver preocupado com a segurança de um ente querido, envie-lhe uma mensagem de texto dizendo que o ama.

Parece que nada nunca está realmente terminado

As tarefas surgem em seus pensamentos como pequenos socos. Compre leite. Faça as unhas. Envie um e-mail ao veterinário. Para que você não esqueça dessas coisas, seu cérebro continua lembrando você de novo e de novo. Mas, é claro, a sequência de interrupções evita que você se concentre na tarefa que deveria estar fazendo no momento em que recebe esses flashes.

Limpe a desordem: primeiro, se você ainda não o fez, elabore uma lista em um pedaço de papel. Quando você anota suas tarefas, tira-as da cabeça, aliviando assim o cérebro de seu papel de lembrete principal. E tente limitar a lista aos seus itens essenciais. Há uma grande diferença entre o que você acha que precisa ser feito e o que realmente precisa ser feito. Além disso, você pode descobrir que, quando você deixa de assumir a responsabilidade por certas tarefas, outras as compensam. Talvez alguém em sua casa também queira leite e até mesmo possa comprar por você.

Você sofre com a síndrome do impostor

Apesar de todas as evidências do contrário, você ainda não está convencido de que merece seu sucesso, e essa insegurança preenche sua mente com dúvidas. Você não confia em seus instintos e suas decisões. O problema é que nos conhecemos de dentro para fora. Então, mesmo que você seja ótimo em alguma coisa, você sabe sobre todas as vezes que você errou ou falhou no passado. E aquela vozinha dentro da sua cabeça continua sussurrando: “você é uma fraude”.

Limpe a desordem: lembre-se de que você é humano – sério. Esse conjunto secreto de falhas que você está escondendo? Todo mundo tem. Você não pode ser excelente sem cometer erros. Então, avalie melhor os seus pensamentos negativos sobre suas habilidades e pense nas vezes em que teve sucesso tanto quanto nas vezes em que falhou.

Fonte: Health Magazine