Otimize os resultados da sua corrida com dicas práticas

Qualidade do sono, alimentação, estresse e fatores biológicos podem interferir no desempenho

Quem corre tem 45% menos risco de sofrer com infartos ou doenças coronarianas. A corrida é comprovadamente um esporte benéfico para corpo e mente, mas alguns detalhes podem fazer a diferença nos resultados da sua atividade.

Quando correr?

Manhã, tarde ou noite? Esta é a dúvida mais comum entre aqueles que querem iniciar um treino de corrida – ou mesmo para quem já pratica o esporte. A verdade é que não há um horário certo ou errado, embora haja vantagens e desvantagens em cada período do dia, como temperaturas mais amenas pela manhã ou uma noite mal dormida pode prejudicar o desempenho, por exemplo. O mais importante é aprender a “ouvir” o corpo. Entender como ele funciona e como responde aos estímulos é fundamental para obter o melhor resultado.

O que é necessário?

No entanto, vale sempre aquela máxima: antes de sair correndo por aí, um check-up prévio, que incluem hemograma, testes de avaliação de colesterol e glicemia, teste ergométrico, entre outros, além de orientação profissional são necessários para evitar surpresas desagradáveis. “O educador físico é uma segurança para o esportista, já que o acompanhamento nos treinos e provas é importante para evitar lesões e potencializar o desempenho”, destaca o fisiologista do esporte do HCor – Hospital do Coração, em São Paulo, Diego Leite de Barros.

Por que correr?

Cada organismo reage de uma forma ao exercício, que dependem, segundo ressalta o fisiologista, de fatores como qualidade do sono, alimentação, estresse e até questões hormonais. A sensação de bem-estar, proporcionada pela liberação de endorfina, após um treino matinal, pode melhorar a disposição para enfrentar o resto do dia. Por outro lado, à noite, os músculos e articulações estão mais preparados para suportar o esforço físico.

“Se o objetivo é melhorar o rendimento nos treinos, por exemplo, as corridas outdoor favorecem a melhora da técnica e o rendimento para provas mais longas. Independente do horário e dos objetivos, o essencial mesmo é treinar nas horas em que mais se encaixam na rotina de cada um”, orienta Diego Leite de Barros. “É importante nunca se esquecer do bom senso: hidratação, alimentação, calcados adequados e roupas confortáveis”, diz.

Dicas para correr melhor

Para aqueles que funcionam melhor de manhã, outras que à tarde estão muito bem-dispostas e aos que à noite estão ligadões ou apagados, seguem algumas dicas:

  • Desjejum: antes de qualquer prática de exercício é importante estar bem alimentado. Vale uma fruta, uma barra de cereal ou um sanduiche de queijo light.
  • Sono: uma boa qualidade de sono é fundamental. Para o organismo se recuperar, procure dormir de 6 a 8 horas.
  • Hidratação: não de se deve esquecer de ingerir água ou isotônicos durante os treinos e ao longo do dia, após a atividade.