Beleza

6 mitos e verdades sobre os abdominais

Atualizado em 13 de maio de 2019
6 mitos e verdades sobre os abdominais

Abdominal transforma gordura em músculo? São suficientes para uma barriga tanquinho? Essas e outras dúvidas respondidas

O professor Mauro Guiselini, mestre em educação física pela USP, professor de educação física na FMU e diretor do Instituto Mauro Guiselini, conta um pouco sobre as verdades e mentiras que costumamos ouvir quando o assunto é conquistar o abdômen perfeito.

1. Você pode reduzir o número de células gordurosas presentes no seu corpo, especificamente na região abdominal?

Mito. Não, somente o tamanho das células, não o número. Muitas pessoas reduzem o número de células gordurosas através de cirurgias. Atenção! O fato de retirar células gordurosas não quer dizer que não irá mais engordar. Muitas pessoas, após retirar o excesso de gordura do abdômen através de cirurgias, ao engordar, aumentam em outra região, como o peito.

2. Músculo vira gordura quando se interrompe o treinamento e a gordura vira músculo quando começa a se exercitar?

Mito. Músculo e gordura são tecidos totalmente diferentes: é impossível transformar um no outro. Não é possível mudar pele para ossos ou músculo para cérebro, então por que seria capaz de transformar gordura em músculo?

O exercício não destrói os depósitos de gordura. Na verdade, ele ajuda a queimar calorias provenientes da gordura. Quando você diminui o peso, através da dieta e exercício, ocorre a diminuição do tamanho da célula de gordura, e não a sua quantidade. E ela continua lá, mesmo depois de você ter emagrecido.

Exercícios de fortalecimento muscular, inclusive os que utilizam pesos, têm pouco efeito sobre a gordura que está dentro e ao redor dos seus músculos. Os exercícios aeróbicos, como a caminhada, corrida, ciclismo são os mais eficientes para queimar gordura. A combinação da perda de peso com o aumento da tonificação muscular possibilita, sim, uma diminuição de gordura ao redor do músculo.

3. Tomar chá laxante ou diurético é bom para emagrecer e diminuir a gordura localizada no abdome?

Mito. Emagrecer não é só diminuir o peso corporal! É também modificar a composição corporal, ou seja, diminuir a porcentagem de gordura, mantendo ou mesmo aumentando a massa muscular. Os produtos citados são formas rápidas de eliminar mais líquido do que o normal. Quando você vai muitas vezes mais ao banheiro do que o habitual, infelizmente não está eliminando gordura. Como elimina muito líquido, o seu peso corporal muda rápido, e este é um falso emagrecimento. As gordurinhas permanecem e o abdômen continua proeminente.

4. Posso reduzir a “circunferência abdominal” fazendo exercícios localizados ou abdominais?

Mito. O efeito fisiológico do “exercício abdominal”, tão praticado por milhares de alunos nas academias e clubes, não tem efeito na redução da gordura localizada na região onde está ocorrendo o estímulo. Aliás, seria muito bom se isto ocorresse. Quando o corpo necessita utilizar a gordura como fonte de energia para produzir o movimento, ele busca em todo o corpo, e não de uma região específica.

Como a demanda energética do exercício abdominal é pequena, seria necessário realiza-lo durante muito tempo, com um número muito grande de repetições, e com intensidade leve/moderada para que a gordura fosse mobilizada como fonte predominante de energia. Isto só seria possível, em termos fisiológicos, realizando abdominais durante 4 ou 5 horas seguidas! Quem consegue? Somente alguém que queira conquistar espaço no Guinness Book!

5. Fortalecer os músculos do abdome (CORE) ajuda a melhorar a performance nos esportes e nas atividades cotidianas?

Verdade. O bom fortalecimento dos músculos do CORE (região lombo-pélvica), incluindo os abdominais superficiais (reto abdominal e oblíquos) e profundos, são importantes para o bom desempenho das atividades cotidianas e esportivas. Eles são responsáveis por manter um bom equilíbrio corporal e consequentemente aumentar a capacidade funcional.

6. Treinamento e dieta são garantia de abdômen tanquinho?

Em termos. Um fator importante para o AUMENTO DA MASSA MUSCULAR (hipertrofia, definição muscular), além da dieta e exercício, é o fator genético. As pessoas diferem na estrutura muscular, variando em maior ou menor quantidade e tipo de fibras. As pessoas que têm maior quantidade de fibras brancas (de contração rápida) respondem melhor ao treinamento de força e hipertrofia, uma vez que estas fibras são as que melhor respondem a esse tipo de treinamento.

Pessoas que geneticamente têm mais fibras brancas nos músculos do abdômen, mais facilmente respondem ao treinamento, ou seja, mais facilmente terão “um abdômen de tanquinho”. E isto é válido para homens e mulheres.

Leia Também

3 dicas para conquistar uma barriga negativa

3 dicas para conquistar uma barriga negativa

5 dicas para ter uma barriga definida

5 dicas para ter uma barriga definida

5 passos para ter um abdômen trincado

5 passos para ter um abdômen trincado

6 mitos e verdades sobre a barriguinha sarada ideal

6 mitos e verdades sobre a barriguinha sarada ideal

Treino Core: por que treinar e o que é isso, afinal?

Treino Core: por que treinar e o que é isso, afinal?

Curta nossa página

Siga no Pinterest