Pernas em forma são sinônimos de cérebro em forma

Mulheres mais velhas que têm pernas fortes tendem a se sair melhor quando se trata de envelhecimento do cérebro. É o que sugere um estudo realizado com mais de 300 gêmeos em uma década.

A equipe do Kings College de Londres diz que a boa forma das pernas é um marcador útil de saber se alguém está fazendo exercícios em quantidade suficiente para ajudar a manter sua mente em boa forma.

O exercício libera substâncias químicas no organismo que podem impulsionar cérebros idosos, dizem os cientistas na revista Gerontology.

É difícil desvincular a força das pernas de outros fatores de estilo de vida que podem ter um impacto sobre a saúde do cérebro. E o estudo não tem como foco apenas a demência.

Os investigadores analisaram a saúde de mais de 150 pares de irmãs gêmeas com idades entre 43 e 73, no início do estudo.

A potência da perna foi medida (no início do estudo) usando equipamentos de ginástica que mediam a velocidade e poder de extensão da perna, enquanto o poder do cérebro foi medido (tanto no início quanto no final do estudo) utilizando tarefas informatizadas que testavam a memória e habilidades de processamento mental.

Geralmente, o gêmeo que tinha mais poder de perna no início do estudo sustentou melhor sua cognição melhor e teve menos alterações cerebrais associadas ao envelhecimento medido depois de 10 anos. E a descoberta permaneceu mesmo após serem incluídos outros de estilo de vida e fatores de risco conhecidos como causas de demência.

Claire Steves, líder da pesquisa, disse: “Quando se fala em envelhecimento cognitivo, a força das pernas foi o fator mais impactante em nosso estudo. Outros fatores, como a saúde do coração também foram importantes, mas a ligação com a força das pernas permaneceu mesmo depois disso”Achamos que a força das pernas é um marcador do tipo de atividade física que é bom para o cérebro.”

• Com informações da BBC