Movimento

Ir ao parque duas vezes por semana pode melhorar significativamente sua saúde

Atualizado em 8 de abril de 2019
Ir ao parque duas vezes por semana pode melhorar significativamente sua saúde

Gosta de passear no parque? Isso pode causar benefícios imensos para a sua saúde se feito com regularidade

Um passeio no parque pode ser um motivo para ótimos momentos. Exercícios ao ar livre podem render brincadeiras com as crianças, uma corrida energizante ou apenas um encontro com amigos para um piquenique ou algumas pedaladas. Mas, além de toda a alegria que um parque pode trazer, esse passeio pode beneficiar ativamente a sua saúde.

Um estudo encomendado ao Instituto de Pesquisa Econômica e Social pela Agência de Proteção Ambiental na Irlanda apontou que ir a um parque duas vezes por semana pode render benefícios para a saúde pessoal, particularmente em termos de bem-estar mental.

A pesquisa discorreu sobre como as pessoas na Irlanda interagem com o espaço verde e também como as pessoas podem tirar o melhor dessa interação e como poderiam acontecer incentivos para que essas atividades fossem cada vez mais frequentes.

O projeto irlandês entrevistou 1.050 adultos entre fevereiro e maio de 2018 sobre a frequência com que visitaram espaços verdes. Eles foram então solicitados a avaliar sua própria saúde física e mental e uma correlação foi traçada entre dois conjuntos de dados complexos.

Enquanto duas idas ao parque por semana apontaram oferecer benefícios significativos para a saúde, qualquer aumento nessa quantidade só melhorou um pouco os resultados.

Atividade moderada?

É claro que uma caminhada no parque, mesmo que em nível leve de atividade, faz muito bem. Mas, segundo o Dr. Gianluca Grilli, responsável pela pesquisa, vale lembrar que as visitas ocasionais a um parque que não podem substituir a academia, por exemplo.

Apresentando alguns resultados iniciais a um ambiente, o Dr. Grilli observou várias pesquisas que mostram como o hábito de frequentar espaços verdes pode ajudar a combater a obesidade e o estresse, além de melhorar a satisfação com a vida e a longevidade.

Qual é o melhor tipo de parque?

Os entrevistados também foram convidados a indicar que tipo de espaço verde ou parque eles provavelmente estariam mais inclinados a visitar. Eles receberam seis opções gerais de design, enquanto uma das quatro variações de questionários foi selecionada aleatoriamente para cada respondente.

Os pesquisadores descobriram que uma visão média da instalação ideal incluía recursos hídricos, uma variedade de trilhas para acordar, especialmente as de tamanho médio, e instalações como cafeterias. Por outro lado, houve uma aversão às árvores – possivelmente um reflexo de preocupações de segurança. Talvez aqui no Brasil essa visão tivesse sido diferente, afinal, passear no  parque em um dia de verão sem a sombra das árvores parece uma tarefa inglória.

Até 2050, a ONU estima que cerca de um terço da população mundial viverá em áreas urbanas, um desenvolvimento que traz um foco renovado em como a sociedade usa o espaço aberto.

As vantagens de se estar perto do verde

Não apenas visitas ocasionais a um lugar cheio de verde e natureza podem ajudar a melhorar a saúde das pessoas. Morar em uma localidade com essas características também auxilia muito no combate e prevenção a diversas comorbidades.

É o que explica uma outra pesquisa, um estudo de cinco anos publicado pelo Journal of American Heart Association no fim de 2018. Segundo o documento, quem mora em bairros mais arborizados tem as chances de doenças cardiovasculares diminuída, como infartos e derrames.

Isso pode se dever ao fato de esses moradores apresentarem níveis mais baixos de estresse em comparação a pessoas que moravam em áreas menos verdes. Essas pessoas também apresentaram maior capacidade de regeneração dos vasos sanguíneos, especialmente quando comparadas a pessoas que viviam em distritos industriais.

Em termos práticos, a expectativa de vida de quem mora perto das árvores era de três anos a mais, impulsionada por fatores como:

  • 14% menos casos de diabetes
  • 13% de redução nos casos de hipertensão, em 13%
  • 10% menos colesterol no sangue
  • 4,9% menos pessoas com doenças crônicas

As novas cidades verdes

Se historicamente as grandes cidades foram projetadas para serem verdadeiras selvas de pedra, estudos como os dois acima apontam para uma necessidade cada vez maior de levar a natureza para perto das pessoas.

Inserir o verde no planejamento urbano de bairros, condomínios e espaços de convivência é, mais do que nunca, uma pauta de saúde pública e de bem-estar comum. Cidades com mais verde reduzem ilhas de calor e diminuem a possibilidade de chuvas torrenciais, que causam alagamentos, enchentes e desabamentos.

A qualidade do ar melhora e as doenças respiratórias passam a ter menor incidência. O que significa menos visitas ao médico, menos remédios e mais qualidade de vida. Além disso, a saúde mental é incrementada, diminuindo condições como o estresse que pode causar males mais sérios, como a depressão e os transtornos de ansiedade.

Um exemplo disso é a cidade australiana de Melbourne, que após viver uma onda mortal de calor e baixas recordes de chuvas que mataram centenas de pessoas em 2009, lançou um programa milionário integrado a política municipal de adaptação às mudanças climáticas. A ação primordial desse plano era o plantio de mudas de árvores.

Com isso a ação conseguiu um o resfriamento da temperatura média da cidade, melhoria da qualidade do ar e redução da incidência de doenças relacionadas ao calor. Mas isso são só alguns deles.

Portanto, resista à tentação de ficar no sofá, vá ao parque, ao bosque, para a pracinha arborizada. Ficar perto da natureza custa pouco e resulta em lucros muito interessantes para a saúde física e mental. E isso não tem preço.

Fonte: Irish Times

Leia Também

10 motivos para ir trabalhar pedalando

10 motivos para ir trabalhar pedalando

5 bons motivos para treinar pela manhã

5 bons motivos para treinar pela manhã

Brincadeira ao ar livre previne miopia em crianças

Brincadeira ao ar livre previne miopia em crianças

Exercícios ao ar livre tornam as pessoas 50% mais felizes

Exercícios ao ar livre tornam as pessoas 50% mais felizes

Sua saúde pode ter a ver com o lugar em que se vive

Sua saúde pode ter a ver com o lugar em que se vive

Curta nossa página

Siga no Pinterest