Como minimizar o ciúme do filho mais novo?

Especialistas dão dicas para lidar com a transição da situação de filho único para irmão mais velho

 

Mães com mais de um filho costumam passar por uma saia justa que pode durar anos e até a vida inteira: a competição entre os irmãos, especialmente o mais velho em relação ao mais novo.
Mas contornar a situação pode ser mais fácil se os pais conseguirem mostrar ao filho que ele não está sendo substituído e que não perderá atenção. “Mantenha a rotina que ele tinha antes da chegada dos irmãos, assim ele não sentirá que está perdendo ou que diminuiu o amor e os cuidados de seus pais”, sugere Rosângela Hasegawa, diretora do Berçário e colégio Evolve, de São Paulo.

Na maioria dos casos, a criança não expressa seu ciúme em palavras, mas com mudanças de comportamento. Um dos mais comuns é o retrocesso, quando volta a fazer coisas que fazia quando mais nova – tudo para ganhar mais atenção. Nesses casos, os pais devem apontar as vantagens por ocupar essa posição de irmão maior. “Mostre as vantagens que ele tem por ser “grande” – ter amigos, dormir mais tarde, passear e brincar mais”, ensina a especialista.

Para evitar que o ciúme ganhe proporções insustentáveis, os pais devem reservar um tempo exclusivo para o filho mais velho. Além disso, como alerta a pedagoga, solicitar a ajuda da criança para cuidar dos irmãos mais novos pode ajudar não só a fazer com que ela se sinta envolvida no processo, como também a desenvolver o laço de amizade entre os irmãos. “Solicitar sua ajuda [da criança] mostra que ela é capaz, que o adulto confia nela”, explica Rosângela.

Uma boa maneira de incluir o irmão mais velho na nova rotina desde cedo é levá-lo às compras para o quarto dos irmãos, de acordo com o psicólogo clínico Luciano Passianotto. Segundo Luciano, depois do nascimento, o mais velho pode até ajudar nos cuidados do bebê. No entanto, é preciso dar a ele tarefas condizentes com a sua idade. Uma criança de quatro anos, por exemplo, deve fazer apenas tarefas simples, como explica o especialista. “Ele pode dar uma chupeta, distrair o bebê com um chocalho, cantar uma canção de ninar e conversar com seu irmãozinho”.