Relacionamento

5 curiosidades sobre os bebês

18 de outubro de 2015
5 curiosidades sobre os bebês

Eles são fofinhos e todo mundo ama nossos pequenos exemplares, mas seu mundo é bem diferente do nosso

Todo mundo ama os bebês. Eles são fofinhos e irresistíveis, mas seu mundo têm muito mais mistérios do que podemos imaginar.

Conheça cinco curiosidades sobre seu desenvolvimento e sua maneira de enxergar e perceber o mundo.

1. Bebês são sinestésicos

Um estudo da Universidade da Califórnia, publicado na Psychological Science, revela que recém-nascidos apreendem estímulos de maneira sinestésica, ou seja, com um cruzamento dos sentidos. Isso porque seu cérebro ainda não está totalmente preparado para perceber esses estímulos, o que faz com que as sensações se cruzem. Assim sendo, um bebê pode sentir um sabor doce ao ver a cor vermelha ou um cheiro determinado quando exposto a certos sons.

 

2. Nunca crescemos tanto quanto como bebês

Enquanto bebês, até os 3 anos, podemos chegar à metade do nosso tamanho permanente. Se continuássemos crescendo durante a infância com a mesma velocidade que crescemos como bebês, seriamos humanos gigantes, maiores que sobrados de dois andares.

 

3. Eles precisam de calorias

O leite materno é o melhor alimento para os bebês até os seis meses de idade. Contém gorduras e proteínas necessárias para o seu desenvolvimento. Mas após o sexto mês, as calorias do leite materno não são mais suficientes para o seu crescimento. Um bebê pode ter um décimo do tamanho de um adulto, mas precisa consumir um terço das calorias que um adulto ingere.

 

4. Falar é só um detalhe

Muitas mães se preocupam com a rapidez ou não que seus filhos têm para começar a falar, mas a verdade é que mesmo sem falar, os bebês começam a balbuciar as primeiras palavras, compreendem um vocabulário três vezes maior do que conseguem pronunciar. E as palavras ininteligíveis só o são para os adultos, bebês se comunicam entre si com sons desconexos, mas que fazem sentido para eles.

 

5. Bebês têm mais ossos

O esqueleto de um bebê têm muitos ossos a mais do que a anatomia de um ser humano formado diz. Isso porque fragmentos de ossos se unem e formam ossos permanentes, como o crânio, que tem sua parte frontal formada por duas placas ósseas separadas para que passe com mais facilidade pelo canal cervical no nascimento, esse vão é a famosa moleira. Por outro lado, bebês nascem sem a rótula. Seus joelhos só ganham esse osso após aprenderem a andar, após o primeiro ano, e após pararem de cair com tanta frequência.

• Com informações do Discovery Home and Health

Curta nossa página

Siga no Pinterest