Relacionamento

O que determina a necessidade de uma cesária no parto?

Atualizado em 18 de abril de 2019
O que determina a necessidade de uma cesária no parto?

Brasil é a segunda maior taxa de cesáreas no mundo. Será que elas são sempre necessárias? Conheça riscos e fatores de escolha da cesariana

O Brasil é o país com a segunda maior taxa de cesáreas do mundo. Dos partos realizados no país, 55,5% são cesarianas – muitas vezes sem real necessidade, segundo a revista científica The Lancet. Apesar de recorrente, a cesárea é uma cirurgia e a recuperação é mais lenta do que um parto normal.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) publicou em 2018 novas recomendações sobre os padrões de tratamento e a lista de cuidados relacionados a mulheres grávidas a fim de reduzir cesáreas desnecessárias. De acordo com informações de 2016, o aumento dos partos cirúrgicos se transformou em uma “epidemia”. A entidade estima que a taxa média mundial de cesáreas seria de 18,6% dos partos. Em 1990, esse índice era de apenas 6%.

Mas, afinal, o que decide se um parto pode ser normal ou precisa ser cesárea?

As razões médicas comuns para cesáreas incluem má formação fetal, desproporção pélvica (um canal de parto de formato incomum ou muito pequeno em relação ao tamanho do bebê) e uma cesárea anterior. Um estudo publicado no Journal of American Medical Association em dezembro de 2015 sugere que tais problemas médicos citados podem ser responsáveis ​​apenas por altas taxas.

Veja outros motivos comuns:

Trabalho de parto não está progredindo

O trabalho de parto é uma das razões mais comuns para uma cesariana. O trabalho de parto parado pode ocorrer se o colo do útero não estiver abrindo o suficiente apesar das fortes contrações ao longo de várias horas.

Bebê está em perigo

Se o seu médico está preocupado com alterações no batimento cardíaco do seu bebê, uma cesariana pode ser a melhor opção.

Posição anormal

Uma cesariana pode ser a maneira mais segura de entregar o bebê se seus pés ou nádegas entrarem no canal do parto primeiro (culatra) ou se o bebê estiver posicionado de lado ou ombro primeiro (transversal).

Gravidez múltipla

A cesárea pode ser necessária se você estiver carregando gêmeos e o bebê líder estiver em uma posição anormal ou se a mãe estiver grávida de trigêmeos ou mais bebês.

Há um problema com a placenta

Se a placenta cobrir a abertura do colo do útero (placenta prévia), recomenda-se uma cesariana para o parto.

Prolapso do cordão umbilical

Uma cesariana pode ser recomendada se uma alça de cordão umbilical escorregar pelo colo do útero antes do bebê.

Mãe com problemas de saúde

A cesárea pode ser recomendada se a mãe tiver um grave problema de saúde, como uma condição cardíaca ou cerebral. A cesariana também é recomendada se a mulher tiver uma infecção ativa por herpes genital no momento do parto.

Obstrução mecânica

Você pode precisar de uma secção C, se tiver um grande mioma a obstruir o canal de nascimento,  fratura pélvica ou seu bebê tem uma condição que pode deixar sua cabeça incomumente grande (hidrocefalia grave).

Alguns estudos sugerem que a pressão de tempo em alguns hospitais pode levar a mais cesáreas, especialmente porque partos normais podem tomar uma grande quantidade de recursos de tempo e de pessoal. Se você é saudável e tem uma gravidez de baixo risco, o hospital onde você planeja ter o bebê pode determinar suas chances de cesárea mais do que qualquer outro fator.

Descubra a taxa de cesariana de hospitais em sua área. Se você está no início de sua gravidez, você pode optar por escolher o seu médico com base em onde ele faz seus partos.

Uma mulher que tem preferência por parto normal, mas termina com uma cesariana, pode sentir uma sensação de perda do parto que ela esperava experimentar, de ter tido sua feminilidade e capacidade de parir roubadas de si. E isso não é incomum. Mas é importante lembrar que há momentos em que uma cesárea é a melhor e mais segura opção de parto.

Mulheres que escolhem fazer cesárea

Uma cesariana também pode ocorrer por simples escolha materna. Uma pessoa pode escolher um parto cirúrgico por uma variedade complexa de motivos, como:

  • Medo de dor durante o parto ou ansiedade em relação ao parto vaginal
  • Experiência anterior
  • Interações com profissionais de saúde
  • Uma gama de influências sociais, incluindo a mídia, amigos e familiares
  • Sensação de controle sobre o processo de parto
  • Escolha da data de nascimento

Os riscos de se escolher a cesária

Como outros tipos de cirurgias de grande porte, as cesarianas também apresentam riscos.

Riscos para o seu bebê incluem:

Problemas respiratórios

Bebês nascidos por cesariana programada têm maior probabilidade de desenvolver taquipneia transitória – um problema respiratório marcado por respiração anormalmente rápida durante os primeiros dias após o nascimento.

Lesão cirúrgica

Embora raros, cortes acidentais na pele do bebê podem ocorrer durante a cirurgia.

Os riscos para a mãe incluem:

Infecção

Após uma cesariana, você corre o risco de desenvolver uma infecção no revestimento do útero (endometrite).

Hemorragia pós-parto

Esse tipo de parto pode causar sangramento intenso durante e após o parto.

Reações à anestesia

Reações adversas a qualquer tipo de anestesia são possíveis.

Coágulos sanguíneos

A cesariana pode aumentar o risco de desenvolver um coágulo sanguíneo, especialmente nas pernas ou nos órgãos pélvicos (trombose venosa profunda). Se um coágulo sanguíneo viajar para os pulmões e bloquear o fluxo sanguíneo (embolia pulmonar), o dano pode ser fatal.

Infecção do corte

Dependendo dos seus fatores de risco e se precisar de uma cesariana de emergência, pode ter um risco maior de infecção por incisão.

Lesão cirúrgica

Embora raros, lesões cirúrgicas na bexiga ou intestino podem ocorrer durante uma cesariana. Se houver uma lesão cirúrgica durante a cesárea, pode ser necessária uma cirurgia adicional.

Riscos maiores durante gravidezes futuras

Depois de uma cesariana, você enfrenta um risco maior de complicações sérias em uma gravidez posterior do que depois de um parto normal. Quanto mais cesáreas tiver, maior é o risco de placenta prévia e uma condição na qual a placenta se liga anormalmente à parede do útero (placenta acreta). O risco de seu útero se rasgar ao longo da linha da cicatriz de uma cesariana anterior (ruptura uterina) também é maior.

 

Medical News Today, Mayo Clinic e Harvard Health

Leia Também

Gravidez tardia: conheça os riscos e benefícios

Gravidez tardia: conheça os riscos e benefícios

12 dicas para aliviar os incômodos da gravidez

12 dicas para aliviar os incômodos da gravidez

4 dicas para uma boa alimentação na gravidez

4 dicas para uma boa alimentação na gravidez

Mãe de segunda viagem: diferenças da segunda gravidez

Mãe de segunda viagem: diferenças da segunda gravidez

Os melhores exercícios para as gestantes

Os melhores exercícios para as gestantes

Curta nossa página

Siga no Pinterest