Saúde

4 coisas a saber antes de uma dieta de eliminação

Atualizado em 19 de fevereiro de 2019
4 coisas a saber antes de uma dieta de eliminação

Se você suspeita de alergia ou intolerância alimentar, saiba como fazer a eliminação

Você suspeita que pode ter sensibilidade ao glúten ou produtos lácteos, mas não tem certeza qual é o culpado? Você pode estar pensando em tentar uma dieta de eliminação. Este plano de alimentação de curto prazo ganhou popularidade recentemente como uma forma de identificar questões alimentares potenciais, incluindo alergias, intolerâncias e gatilhos de sintomas que vão de inchaço, dor nas articulações e fadiga até problemas de pele como eczema.

Enquanto não há um protocolo, uma dieta de eliminação geralmente envolve duas fases. Na primeira, diversos alimentos são eliminados por, pelo menos, quatro semanas, por vezes, oito. Em seguida, os alimentos são adicionados de volta, um de cada vez.

Leia também: Síndrome metabólica: você sabe o que isso?

Se um alimento reintroduzido não causa sintomas, pode ser deixado na dieta, ou, pelo menos, descartado como um gatilho. Quaisquer alimentos que causam problemas são permanentemente eliminados para aliviar e, às vezes resolver os sintomas. Se você está pensando em tentar este tipo de experiência, aqui estão quatro coisas importantes que você deve saber.

A maioria das dietas de eliminação envolvem oito alimentos

Estes oito alimentos comuns são responsáveis pela maioria das alergias: trigo, leite e produtos lácteos (como queijo e iogurte), ovos, soja, peixe, marisco, frutos de casca rija (amêndoas, nozes, pistache) e amendoim. No entanto, uma dieta de eliminação pode envolver alimentos adicionais, dependendo seus sintomas pessoais.

Não é apenas para alergias

Enquanto muitos tentam uma dieta de eliminação por causa de suspeitas de alergias, pode ser um teste útil para outros problemas de saúde também. Pessoas com condições inflamatórias como a psoríase ou a artrite, por exemplo, podem eliminar o açúcar refinado, alimentos processados, e vegetais como pimentas, pimentões e berinjela, assim como o glúten, produtos lácteos, e soja. Quem sofre com a síndrome do intestino irritável pode eliminar alimentos fermentáveis mal absorvidos pelo organismo e que podem causar desconforto intestinal. (Estes são os alimentos como maçãs e cebolas que contêm substâncias bactérias do intestino fermentam, que produz uma acumulação de gás, como maçãs e cebolas. Um conjunto diferente de alimentos pode ser eliminado para enxaquecas, ou doença do refluxo gastroesofágico.

Leia também: Compulsão e transtorno alimentar agudo: entenda a diferença

Bebidas também podem ser excluídas

Para algumas pessoas é recomendável a eliminação do café, álcool e até de chás. Mais uma vez, isso depende dos sintomas ou problemas. Para o inchaço crônico e problemas digestivos, café e álcool são geralmente problemáticos. Então, quando outros alimentos-gatilho são eliminados, mas estas bebidas não são, os sintomas não melhoram.

Precisão é a chave

Para fazer o teste direito, é importante escolher seus alimentos estrategicamente e seguir a dieta de forma consistente, além de certificar-se que você está recebendo uma nutrição equilibrada para a duração da dieta.

Leia Também

Por que emagrecer vai muito além de treino?

Por que emagrecer vai muito além de treino?

7 recados que as suas espinhas dão sobre sua saúde

7 recados que as suas espinhas dão sobre sua saúde

Alimentos com baixo índice glicêmico emagrecem e controlam o diabetes

Alimentos com baixo índice glicêmico emagrecem e controlam o diabetes

Dismorfia corporal: entenda o transtorno de distorção da imagem

Dismorfia corporal: entenda o transtorno de distorção da imagem

Como dar uma forcinha para o metabolismo?

Como dar uma forcinha para o metabolismo?

Curta nossa página

Siga no Pinterest