Você sabe o que é carboxiterapia?

Saiba mais sobre o tratamento que promete atenuar o aspecto desagradável das estrias

 

O corpo feminino passa por muitas mudanças ao longo da vida e algumas delas, como a puberdade e a gravidez, podem causar estrias. Esta afecção deixa marcas que geram uma aparência desagradável que influi negativamente na autoestima feminina.

As estrias são rompimentos das fibras elásticas que sustentam a camada intermediária da pele, formada por colágeno e elastina. Normalmente, esta ruptura ocorre em decorrência de um estiramento que vai além da elasticidade da pele. Este acontecimento é mais comum no estirão puberal, gravidez e ganho de peso em excesso em regiões como as mamas, coxas e nádegas.

Quando as estrias estão avermelhadas, é sinal de que ainda estão em processo inflamatório e este é o momento mais apropriado para iniciar um tratamento, com garantia de bons resultados. Com o passar do tempo, as estrias se tornam esbranquiçadas e o resultado estará atrelado ao nível da afecção.

Hidratar a pele é um meio eficaz de prevenir e amenizar as estrias, mas quando a patologia já está instaurada, é preciso combatê-la com tratamentos estéticos, como a carboxiterapia.

A carboxiterapia é um método invasivo que através de uma pequena agulha realiza a infusão subcutânea do gás carbônico (CO²). Ao injetar o gás, o organismo interpreta a ausência do oxigênio (O²) levando a um aumento da concentração de oxigênio tecidual, estimulando o metabolismo das células e promovendo a melhora da circulação sanguínea. A entrada do gás provoca um processo inflamatório local, que estimula a produção de colágeno e elastina, contribuindo para a melhora do aspecto da pele.

Mas, lembre-se, ao procurar pelo tratamento, não se esqueça de buscar clínicas de confiança, que seguem as regras sanitárias e de segurança, para que o seu tratamento seja satisfatório e não ofereça qualquer tipo de risco à sua saúde.