Equilíbrio

Por que as mulheres vivem mais?

6 de outubro de 2018
Por que as mulheres vivem mais?

A expectativa de vida dos homens é três anos menor do que a das mulheres. Mas qual é a explicação?

Pense na sua família, existem mais viúvas ou viúvos? Provavelmente mais mulheres que já perderam seus maridos do que o contrário. Mas por que isso acontece?

Uma das primeiras teorias era a de que os homens viviam uma vida fisicamente mais extenuante e o corpo acabava cobrando o preço disso mais tarde. Mas se isso fosse verdade, hoje em dia a diferença na longevidade deveria ter caído, já que a maioria dos homens e das mulheres realiza os mesmos tipos de trabalho, muitas vezes sedentário. Mas as mulheres ainda vivem mais.

Parece, portanto, que a resposta do enigma está na nossa evolução, segundo Tom Kirkwood, pesquisador em fisiologia do envelhecimento na Universidade de Newcastle, na Grã-Bretanha. Por terem dois cromossomos X, as mulheres mantêm uma cópia de todos os seus genes, que pode entrar em ação se outro “falha”. Os homens não têm esse back-up.

Outra hipótese considera o fato de o batimento cardíaco das mulheres aumentar durante a segunda metade do ciclo menstrual, oferecendo benefícios semelhantes aos de fazer exercícios moderadamente. O resultado é um risco mais tardio de desenvolver doenças cardiovasculares.

Mas talvez o verdadeiro motivo seja a testosterona, que determina a maioria das outras características masculinas, como a voz mais grossa, a presença maior de pelos e a calvície.

As evidências para isso vêm da Corte Imperial da Dinastia Chosun, da Coreia. O cientista coreano Han-Nam Park recentemente analisou os registros detalhados da vida na corte no século 19, incluindo 81 eunucos cujos testículos foram retirados antes da puberdade. A análise revelou que os eunucos viviam até aproximadamente 70 anos, enquanto os demais homens da corte tinham uma vida média de 50 anos. A testosterona pode tornar o corpo mais forte, no curto prazo, mas essas mesmas mudanças deixam os homens propensos a doenças do coração, infecções e câncer no fim da vida, afirma David Gem, da University College Londres.

As mulheres não só escapam dos riscos da testosterona como também podem se beneficiar de seu próprio “elixir da juventude”. O estrogênio é um “antioxidante” natural. Em experimentos com animais, fêmeas cujos ovários foram retirados não vivem tanto quanto àquelas que continuaram produzindo o estrogênio naturalmente.

Kirkwood e Gem acreditam que isso é uma vantagem evolutiva que deu a homens e mulheres as melhores chances de passar seus genes adiante. Durante o acasalamento, as mulheres tendem a procurar o “macho alfa”, mais definido pela testosterona. “Mas, uma vez que os filhos nascem, o bem-estar da cria está intimamente ligado ao bem-estar da figura materna. Ou seja, é muito mais importante para os filhos que a mãe esteja em forma do que o pai”, diz Kirkwood.

• Com informações da BBC

Curta nossa página

Siga no Pinterest