Fitness

Atividade física pode ajustar e regular nosso relógio biológico

25 de fevereiro de 2019
Atividade física pode ajustar e regular nosso relógio biológico

Estudo busca encontrar os melhores horários de exercício para ajustar com mais precisão o relógio biológico

Todo mundo precisa dormir, mas isso não significa que é fácil para todos – especialmente quando seu ciclo de sono natural é interrompido, desrespeitando seu relógio biológico.

Uma nova pesquisa, no entanto, oferece esperança para as pessoas que buscam se adaptar mais facilmente à hora de dormir forçada – inclusive a hora com jet lag – por meio de atividades físicas.

O professor de Enfermagem e Inovação em Saúde da Arizona State University, Shawn Youngstedt e seus co-autores Jeffrey Elliott e Daniel Kripke, queriam expandir pesquisas anteriores que mostraram que o exercício pode causar mudanças no relógio biológico ou no ritmo circadiano.

Assim, o estudo deles, delineado em um artigo recém publicado no Journal of Physiology, procurou descobrir a hora do dia em que você deveria se exercitar para o ajuste desejado.

Os resultados encontrados foram:

  • Exercício às 7h ou entre 13h e 16h da tarde adiantou o relógio biológico, o que ajudaria as pessoas a começarem as atividades mais cedo no dia seguinte e acordar mais cedo.
  • Exercício entre 19h e 22h atrasou o relógio biológico, o que ajudaria as pessoas a trabalhar e atingir seu desempenho máximo no dia seguinte mais tarde.
  • O exercício entre 1h e 4h da manhã ou às 10h da manhã teve pouco efeito no relógio biológico.

Disruptores do relógio biológico

Segundo Youngstetd, o trabalho por turnos e o jet lag são disruptores comuns do relógio biológico. Ter uma luz acesa e até mesmo uma luz de celular à noite pode atrasar o relógio do corpo, tornando mais difícil levantar de manhã. Não receber luz suficiente ao ar livre ou atividade física também são fatores que afetam.

Em um curto prazo, esses disruptores frequentemente levam a distúrbios do sono, humor e alerta prejudicados e aumento do risco de acidentes. O jet lag também costuma levar a problemas de digestão. O trabalho por turnos está associado a um alto risco de câncer e doenças cardiovasculares, depressão, diabetes e obesidade.

Segundo o pesquisador, isso é um grande problema social por todo o mundo. Ele explica que cerca de 20% da população mundial são trabalhadores por turnos e milhões de passageiros aéreos sofrem com o jet lag anualmente.

Ele também afirma que jet lag social, que está associado a dormir mais tarde nos fins de semana também parece estar se tornando mais prevalente. A fase de sono tardia é particularmente comum em adolescentes e adultos jovens e geralmente leva à perda de sono durante a semana.

Curta nossa página

Siga no Pinterest