Saúde

Os cuidados necessários com a dieta detox

7 de novembro de 2015
Os cuidados necessários com a dieta detox

Limpar o organismo das toxinas acumuladas ao longo dos anos é uma ótima ideia, mas radicalizar pode ser perigoso

As dietas desintoxicantes conhecidas como detox caíram no gosto popular. Elas têm como objetivo restabelecer o equilíbrio do metabolismo ao ajudar o corpo a eliminar toxinas produzidas a partir da ingestão excessiva de açúcar, gorduras, álcool, aditivos químicos, agrotóxicos, uso abusivo de medicamentos, entre outros.

Sintomas como a falta de disposição, concentração, dificuldade de digestão, dor de cabeça, insônia, mau funcionamento do intestino, excesso de gases, retenção de líquido e dificuldade para perder peso muitas vezes estão relacionados ao acúmulo dessas substâncias.

Uma dieta detox bem orientada é capaz de desintoxicar, hidratar, eliminar tais sintomas e auxiliar até mesmo no emagrecimento.

No entanto, ainda há muita desinformação sobre esse assunto. Muitas pessoas acreditam que isso é sinônimo de dieta radical e restritiva e excluem do cardápio uma série de alimentos e nutrientes indispensáveis ao corpo, colocando a saúde em risco. Muitos, sem qualquer orientação, ficam em jejum por horas e se apoiam no consumo por tempo prolongado de alimentos líquidos como sucos e sopas, com baixo conteúdo calórico-nutricional, o que pode causar anemia, fraqueza, deficiência de minerais e vitaminas, mau humor e, pior, intoxicar o fígado.

 

As restrições não devem ser absolutas e são feitas por um curto período de tempo, três a sete dias no máximo, que podem ser repetidos esporadicamente. Nesse período, devemos excluir as bebidas alcoólicas, o açúcar, café, alimentos ricos em aditivos químicos e gorduras saturadas/trans, além de alimentos com alto potencial alergênico como os laticínios, os ricos em glúten e a soja.

A dieta detox saudável deve ser restrita em sal e rica em temperos naturais como ervas, cebola, alho, gengibre etc, além de conter frutas e vegetais (se possível orgânicos), carnes magras cozidas ou grelhadas (frango sem pele ou peixes), sementes e oleaginosas como a linhaça, chia, castanhas, etc, cereais como a quinoa, amaranto e arroz integral, leguminosas como o feijão, ervilha, lentilha e grão-de-bico, e muito líquido. Estão liberados a água mineral, de coco, chás e sucos detoxificantes, preparados com frutas e vegetais.

Curta nossa página

Siga no Pinterest