Saúde

Azia: mitos, causas e dicas para acabar com a má digestão

Atualizado em 10 de junho de 2019
Azia: mitos, causas e dicas para acabar com a má digestão

Azia, indigestão, desconforto crônico e nenhuma causa aparente. É possível aliviar a azia e má digestão com mudança de hábitos

Segundo um estudo encomendado pela GSK para a Ipsos Brasil, a azia é um dos sintomas mais frequentes entre os brasileiros. E uma das causas é a dispepsia funcional, um termo que parece assustador, mas do qual você pode sofrer e nem saber. O termo médico para dor abdominal superior persistente ou desconforto sem uma causa médica identificável é dispepsia funcional. Os sintomas podem ir e vir a qualquer momento, mas muitas vezes comer é o gatilho. Às vezes o desconforto começa durante a refeição; outras vezes, cerca de meia hora depois.

Talvez você tenha acabado de comer ou terminado uma refeição há uma hora ou mais – e sente seu estômago incomodar, inchaço e desconforto. Ou talvez seja mais uma sensação de queimação ou azia. Talvez você se sinta enjoado ou até mesmo vomite. Você pode dizer que tem uma “dor de estômago” ou indigestão. Se não houver uma causa médica conhecida para seus sintomas, seu médico a chamará de “dispepsia” ou “má digestão”.

Mas você não está sozinho. Cerca de 25% da população é afetada e esse tipo de desconforto estomacal atinge igualmente homens e mulheres. Além disso, é responsável por uma porcentagem significativa de visitas a médicos, em parte porque muitas pessoas temem que possam ter uma úlcera ou um quadro de gastrite. Embora seja frustrante que a causa da dispepsia funcional seja desconhecida, é ainda mais frustrante não haver cura garantida.

Má digestão e alimentação

De acordo com a Drª Ana Santoro, gerente médica da GSK, uma das causas dessa incidência alta é o tipo de alimentação do brasileiro. Apesar de hoje estarmos muito mais preocupados com uma boa saúde e com melhores hábitos alimentares, nossa alimentação ainda contém muitos vilões para o estômago, como alimentos gordurosos, condimentados, apimentados, além de bebidas gasosase chás.

Causas da azia

A azia acontece quando o ácido gástrico rompe o anel muscular que separa o esôfago do estômago e provoca dor e queimação na região. Isso pode causar uma gastrite e até mesmo úlcera em um longo período de tempo.

Como tratar a azia e indigestão

A boa notícia é que existem coisas simples que você pode tentar fazer para ajudar a aliviar seus sintomas de dispepsia funcional, segundo dicas da Harvard Health:

  • Evite alimentos que desencadeiem seus sintomas. Observe quando isso acontece;
  • Coma pequenas porções e não coma demais; tente comer refeições menores e mais frequentes ao longo do dia e mastigue os alimentos devagar e completamente;
  • Evite atividades que resultem em engolir o excesso de ar, como fumar, comer rapidamente, mascar chiclete e beber bebidas gasosas;
  • Reduza seu estresse. Tente terapias de relaxamento, terapia cognitivo-comportamental ou exercícios. Um treino aeróbico de 3 a 5 vezes por semana pode ajudar, mas não se exercite logo após a refeição;
  • Descanse bastante;
  • Não se deite dentro de duas horas de comer;
  • Mantenha seu peso sob controle.

Dor de cabeça e azia

A Associação Internacional para o Estudo da Dor aponta que 50% da população mundial sofre de dor de cabeça pelo menos uma vez por ano e esse desconforto muitas vezes pode estar relacionado a hábitos alimentares comuns do nosso dia a dia e a sintomas estomacais, como a má digestão e a azia. Veja três dicas rápidas da Dra. Ana Santoro paraevitar essas dores.

  • Ficar longos períodos sem comer aumenta as chances de azia. O jejum prolongado provoca o acúmulo de ácido gástrico no estômago, causando refluxo e irritando o esôfago. O aconselhado é comer a cada três horas para manter o sistema digestivo funcionando corretamente.
  • Bebidas artificialmente gaseificadas, como refrigerantes, são grandes vilãs do estômago. A acidez desse tipo de bebida pode gerar desconforto no sistema gástrico impactando também em dores de cabeça
  • O café provoca irritação da mucosa do esôfago e aumenta a secreção estomacal, provocando azia, que pode acabar ocasionando dor de cabeça. O recomendado é a ingestão de no máximo duas xícaras de café diariamente.

Mitos e verdades sobre a azia

Tomar leite combate azia e queimação no estômago?

Mito. O leite contém grande quantidade do ácido secretado pelo nosso organismo. Mas depois que o estômago esvazia, o ácido gástrico que ainda é produzido não é capaz de ser reduzido. Isso faz com que o pH do estômago diminua, contribuindo para a ocorrência de azia e queimação.

Fumar afeta o estômago e agrava o quadro de azia?

Verdade. O tabagismo compromete a capacidade do estômago de neutralizar ácidos após uma refeição. Isso faz com que o ácido produzido pelo organismo e proveniente dos alimentos ingeridos ataque o revestimento estomacal de forma mais agressiva.

A posição de dormir pode causar azia?

Verdade. O refluxo ocorre quando o ácido gástrico ultrapassa o esfíncter esofágico e reflui para o esôfago, provocando sensação de dor e/ou desconforto, conhecido como azia. Caso a pessoa esteja com esse sintoma, além de evitar comidas pesadas à noite, elevar a cabeceira da cama cerca de 15cm pode ajudar a contê-lo.

Ficar em jejum dá azia?

Verdade. A literatura sobre o assunto sugere que a redução do número de refeições e a perda das reservas hepáticas de glicogênio – substância utilizada pelo organismo como fonte energética – resultam na liberação de serotonina e epinefrina (adrenalina), o que pode causar alterações vasculares e gerar azia e dor de cabeça. Liberação de hormônios do estresse e hipoglicemia também estão envolvidos nesse processo.

Leia Também

Aprenda a evitar a má digestão e tenha mais disposição

Aprenda a evitar a má digestão e tenha mais disposição

5 alimentos que ajudam a acabar com o mau hálito

5 alimentos que ajudam a acabar com o mau hálito

Má digestão? A causa pode ser estresse

Má digestão? A causa pode ser estresse

9 sinais de que você pode ser intolerante a glúten

9 sinais de que você pode ser intolerante a glúten

Batatas podem reduzir risco de câncer de estômago

Batatas podem reduzir risco de câncer de estômago

Curta nossa página

Siga no Pinterest