Ansiedade e depressão: dicas para amenizar os sintomas

Conhecidas como as doenças do século XXI, a depressão e a ansiedade atingem boa parte da população mundial. Por isso cuidar da sua saúde mental se tornou cada vez mais importante

A depressão e a ansiedade são conhecidos como os maus do século XXI. É sabido hoje que 300 milhões de pessoas de todas as idades ao redor do mundo sofrem com uma ou outra dessas doenças. Porém, ainda hoje se confunde muito o sentimento da depressão e da ansiedade com estar muito nervoso por uma prova, ou muito triste por um acontecimento. A verdade é que as duas doenças, que prejudicam a saúde mental, não são sentimentos passageiros, mas sim pensamentos e sensações que acometem o corpo de quem as enfrenta em menor ou maior grau. Mas há uma luz no fim do túnel. Tratamentos como o acompanhamento psicológico e psiquiátrico podem ajudar e muito a melhorar o quadro.

Por isso, se você sente algum dos sintomas de depressão e ansiedade, e se esses sentimentos estiverem interferindo em sua vida e rotina, o mais adequado é procurar um médico para te ajudar a enfrentar essas sensações. Por outro lado, receber informação sobre a doença também é muito importante para saber identificar o que você está sentindo e, dessa forma, compreender que você não está sozinho.

Entendendo a ansiedade e depressão

Segundo dados do relatório de 2019 da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com a maior prevalência de pessoas com transtorno de ansiedade do mundo, ocupando o 5º lugar em relação à depressão. Estima-se que em 2017 quase um quarto da população brasileira sofria com algum nível de transtorno de ansiedade e cerca de 6% com depressão. Por isso, se você faz parte desse grupo, não se sinta sozinho.

Assim como doenças cardiovasculares, alcoolismo, obesidade, a depressão e a ansiedade são um problema de saúde pública e devem ser tratados como tal. Muitas vezes pensamos que por se tratar de uma questão de saúde emocional não precisamos buscar ajuda, mas, pelo contrário, você pode e deve procurar um médico que te ajude a entender pelo que está passando.

A depressão

Também conhecido como transtorno depressivo, essa doença é mais do que estar se sentindo pra baixo ou passando por um dia ruim. Quando esse sentimento de tristeza dura por muito tempo e passa a interferir na sua vida cotidiana é possível que você esteja em um quadro depressivo. Alguns dos sintomas mais comuns são:

  • Sentimento de tristeza e ansiedade presente por muito tempo
  • Não sentir mais vontade de fazer atividades que antes de davam prazer
  • Sentir-se irritado, frustrado ou cansado o tempo todo
  • Ter problemas para pegar no sono e manter-se dormindo
  • Acordar fácil demais ou dormir além da conta
  • Comer mais ou menos do que o usual, ou desenvolver problemas de apetite
  • Sentir dores de cabeça, no corpo ou no estômago sem motivo aparente
  • Desenvolver dificuldade em se concentrar, lembrar de detalhes ou tomar decisões
  • Sentir-se cansado, mesmo após uma boa noite de sono
  • Ter sentimentos de culpa, falta de valor ou falta de esperança
  • Desenvolver pensamentos suicidas ou vontade de se machucar

Esses sintomas, apesar de comuns em pessoas com quadros depressivos, não podem servir para realizar o diagnóstico. Se você identificou um ou mais sintomas, procure um psicólogo e um psiquiatra para te ajudar a avaliar melhor seu caso e dar um diagnóstico correto.

A ansiedade

Também conhecida como Transtorno de Ansiedade Generalizada ou TAG, a ansiedade pode ser caracterizada como uma preocupação sem fim sobre alguma coisa na sua vida. Diferente de uma preocupação com uma prova, ou com algo que seu chefe pode falar, a ansiedade tem como característica um pensamento de preocupação que não vai embora mesmo que o tempo passe, e até se a situação já tiver sido resolvida. Alguns dos sintomas mais comuns são:

  • Nervosismo, cansaço, tensão
  • Sentimento de medo, pânico ou pavor
  • Taquicardia
  • Respiração rápida
  • Aumento ou suor excessivo
  • Tremor ou contração muscular involuntária
  • Fraqueza e letargia
  • Dificuldade em se manter focado ou em pensar com clareza sobre o que você estiver preocupado
  • Insônia
  • Problemas gastrointestinais como gases, diarreia e constipação
  • Forte desejo de evitar coisas e situações que ativam a sua ansiedade
  • Obsessão com certas ideias, o que também pode ser um sinal de transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)
  • Repetição de comportamentos
  • Ansiedade com relação a algum evento passado da sua vida particular, o que pode indicar outro quadro como transtorno de estresse pós-traumático

Apesar de serem os mais comuns, esses sintomas podem vir aliados com sintomas de depressão e estresse. No caso de algumas pessoas, também podem ser sinal de algum outro transtorno emocional como bipolaridade ou borderline. Por isso é importante se consultar com um psiquiatra ou um psicólogo para que possam entender os seus sentimentos e como deve ser melhor o tratamento.

Prevenção e tratamento

A exata causa da depressão e da ansiedade ainda é desconhecida. A teoria mais utilizada é que podem ser causadas por uma combinação de fatores genéticos, biológicos, ambientais e psicológicos. Cada pessoa possui uma maneira diferente de lidar com os sintomas, e o mesmo se aplica ao desenvolvimento das doenças. Por isso é importante procurar um médico que possa avaliar quais são as melhores medidas para impedir que essas doenças atrapalhem ainda mais a sua rotina.

Porém algumas medidas podem ser realizadas para diminuir os efeitos delas na sua vida, e podem ser realizadas em casa mesmo. Por isso separamos 7 dicas que vão te ajudar a combater os sintomas da depressão e da ansiedade e conviver melhor com estas doenças no dia a dia:

  • Faça hipnose
  • Atividade Física
  • Mantenha contato com pessoas próximas
  • Tenha uma rotina
  • Tire um tempo para respirar e meditar
  • Cuide do seu sono
  • Seja mais carinhoso com seus pensamentos e sentimentos