Comida pro coração: Diminuir o sal é essencial

Você provavelmente já ouviu que sal em excesso faz mal para a saúde, mas você entende o porquê? Ele pode ser o grande vilão do coração, mas só quando consumido de forma exagerada

O sal de cozinha, que usamos normalmente para preparar alimentos, é um mineral formado principalmente por cloreto de sódio, um composto químico pertencente à classe maior de sais. Apesar de poder ser ingerido e de, em alguns casos, fazer bem para a saúde, em excesso pode se tornar o grande inimigo da saúde, principalmente do coração. 

A maioria das pessoas não entende como ele pode ser perigoso, e por isso acaba consumindo muito mais do que o recomendado por dia. E muitos fazem isso sem saber! Afinal, o sódio pode estar presente em muitos lugares, de fast food à garrafinha de água comprada no supermercado. Por isso é recomendado sempre olhar as especificações das embalagens, principalmente se você já tem problemas cardíacos, ou tem propensão a desenvolvê-los. 

Não apenas para o coração o sal pode se tornar inimigo. Um estudo realizado pelo periódico Hypertension, da Associação Americana do Coração, descobriu que o consumo elevado de sal pode estar diretamente relacionado ao aumento do risco de desenvolver obesidade. A partir da pesquisa que envolveu 458 crianças e 785 adultos foi possível perceber maior surgimento da condição nestes grupos. 

Para isso, a pesquisa levou em consideração exames de urina realizados nos grupos.Dessa forma, foi possível detectar o mineral, cruzando os resultados com informações como sexo, idade, etnia, hábitos como fumo e álcool, atividade física, entre outros. Após ajustar todos esses fatores, os cientistas perceberam que o excesso de sal refinado está diretamente relacionado à quantidade de gordura corporal. Ou seja, a ingestão de sal branco está associada a um risco maior de obesidade de 28% em crianças e 26% em adultos.

Como o sódio atinge o coração?

O sódio é o maior responsável por regular a quantidade de líquidos que ficam nas células. Por isso, quando há excesso desse mineral no sangue pode haver um desequilíbrio nesses líquidos e, com isso, o corpo passa a reter mais água do que o necessário. Quando isso acontece, acontece uma sobrecarga em diversos órgãos, como coração e rins, o que pode levar ao surgimento de casos de hipertensão. 

O recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é que seja consumida uma quantidade de menos de 5 gramas por pessoa. Isso equivale a uma colher de chá de sódio. No entanto, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o brasileiro médio consome cerca de 12 gramas de sódio diariamente.

Segundo dados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2011) do Ministério da Saúde, 22,7% dos brasileiros já receberam diagnóstico de hipertensão. A hipertensão, por sua vez, traz diversos prejuízos à saúde. Ela é a principal responsável por causar uma sobrecarga no coração, já que prejudica a flexibilização das artérias e vasos sanguíneos, além de contribuir para o desgaste de órgãos vitais. 

Ela é inclusive um dos fatores de risco de infarto, que causou mais de 75 mil mortes em 2010, e de Acidente Vascular Cerebral (AVC), responsável por quase 100 mil mortes em 2010. Além disso, nos rins a hipertensão pode levar a alterações na filtração do sangue e até a paralisação dos órgãos. Portanto, evitar a ingestão excessiva de sal é uma medida simples que pode prevenir contra vários problemas graves de saúde.

Como se prevenir

A primeira recomendação para quem quer diminuir a ingestão de sal é olhar as informações nutricionais nas embalagens de alimentos que você compra no mercado. Para contribuir com a diminuição do consumo de sódio, o Ministério da Saúde firmou um acordo com a indústria alimentícia pela redução gradual do teor de sódio em alimentos processados. Para isso, desde 2011, governo federal têm feito termos de compromisso para que os alimentos sejam produzidos com menos sódio.

Além disso, substituir alimentos processados por uma alimentação saudável, rica em comidas cruas, frescas e in natura é uma ótima pedida para cuidar do seu coração. Você também pode diminuir a quantidade de ingestão de refrigerantes. Isso porque, essas bebidas não apenas são ricas em sódio, como também têm uma grande quantidade de açúcar em sua composição. 

Fonte: Ministério da Saúde