Por que investir programas de bem-estar para a minha empresa?

Muito se fala sobre o bem-estar corporativo, mas muitas empresas ainda possuem dúvidas sobre como programas de qualidade de vida podem impactar no seu negócio

A linha entre trabalho e vida social fica cada vez mais tênue. As preocupações de um profissional atualmente são muitas. Demandas sem horário, não saber gerir o life-work balance, lidar com as expectativas altas de performance são apenas algumas das situações que podem levar a doenças e burnout, o que impacta diretamente as entregas dos colaboradores. Ainda mais no momento em que estamos vivendo, culpa da pandemia de COVID-19 em que muitas empresas adotaram o esquema de home office, e os colaboradores precisaram aprender a lidar com a nova rotina. Portanto, para ajudar nesses momentos, investir em programas de bem-estar físico, mental e financeiro deixam de ser um diferencial e passam a se torna cada vez mais fundamentais para bem-estar de seu negócio.

A nova geração de profissionais preza trabalhar em ambientes que investem que proporcionem um bem-estar corporativo. Por isso os melhores profissionais procuram empresas que invistam em programas de incentivo a qualidade de vida, para além dos benefícios que vem junto com a descrição do trabalho. Afinal, um profissional feliz é um profissional que rende mais.

Quanto mais o tempo passa, mais as empresas usam da gestão de pessoas através de programas de bem-estar como um caso de sucesso empresarial. É por isso que cada vez mais empresas têm investido em programas que incentivam a mudança de hábitos dos seus colaboradores, proporcionando uma mudança que vai além do ambiente de trabalho, e passa a gerar impacto também na vida dos seus profissionais. E esta não é uma iniciativa somente no Brasil.

A qualidade de vida no trabalho é uma preocupação global

Grandes empresas como o Google e a Johnson & Johnson já entenderam a importância de incentivar o bem-estar e a qualidade de vida dos seus colaboradores e trazem isso no core da empresa, passando a tratar essas ações como um investimento, que gerará retorno futuro. E isso não se limita à grandes corporações. Um exemplo brasileiro de sucesso que podemos usar é a fintec Nubank, que configura na lista da GPTW como uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil desde 2016.

Em 2018 a pesquisa realizada pela Global Human Capital Trends da Deloitte revelou que 49% das empresas entrevistadas acreditam que programas de bem-estar corporativo reforçam sua visão e valores, e 61% acreditam que a partir deles há uma melhora na produtividade e nos resultados do negócio. Ainda segundo a pesquisa, os custos com perdas de produtividade são 2.3 vezes maiores do que os custos médicos e de farmácia para as companhias.

Ou seja, ao investir em programas que incentivam o bem-estar no trabalho e no ambiente familiar dos colaboradores, seus índices de engajamento com a empresa aumentam, o que gera impacto também na produtividade e nos ganhos. Além disso, a pesquisa ainda revelou que 40% dos funcionários entrevistados afirma que um alto nível de estresse no trabalho afeta negativamente sua produtividade, saúde e relações familiares.

Mas afinal, o que é a qualidade de vida nas empresas?

A qualidade de vida corporativa diz respeito às condições do trabalhador dentro da empresa, com incentivos, valorizações e levando em conta a satisfação pessoal do seu funcionário. Isso pode ser feito através da promoção de saúde física, financeira, mental e emocional do colaborador.

Pensar na melhora da qualidade de vida dos seus colaboradores leva em conta:

  • condições ergonômicas
  • desenvolvimento pessoal
  • melhora da vida financeira
  • incentivo à atividade física
  • alimentação saudável
  • melhora na motivação
  • saúde emocional

Empresas especializadas em bem-estar corporativo ajudam a melhorar as rotinas dos colaboradores, oferecendo incentivo para a mudança e garantindo uma melhor produtividade e desempenho, além da diminuição de turnover. Através de mapeamentos e campanhas de saúde é possível diminuir a incidência de doenças crônicas, e controlar e identificar os potenciais riscos à saúde dos seus colaboradores, como fumo, pressão alta, sedentarismo e obesidade.

Ações como essas são importantes, afinal, estudo realizado pelo Milken Institute concluiu que as doenças crônicas mais comuns (que incluem câncer, diabetes e doenças do coração) são responsáveis por $1.1 trilhão de perda em produtividade anualmente nos Estados Unidos. Eles atribuíram essas perdas tanto ao absentismo quanto ao “presenteísmo”, ou seja, quando os funcionários passam a trabalhar muito mal para realizar seu trabalho. E muitas dessas doenças podem ser evitadas com medidas preventivas e incentivos à mudança de hábitos.

Como posso implementar programas de bem-estar na minha empresa?

Agora que você sabe o que são os programas de bem-estar e qualidade de vida corporativos, observe as necessidades dos seus colaboradores e procure empresas que podem te ajudar a entender melhor quais aspectos são necessários para melhorar a vida de seu time.

Se interessou por algum ponto do texto? Acredita que através do bem-estar de seus funcionários é possível alavancar a produtividade da sua empresa? Entre em contato com a Já Mudei para conhecer nossos produtos personalizáveis para a sua empresa.