Trabalho

Você workaholic? Conheça as consequências

Atualizado em 19 de fevereiro de 2020
Você workaholic? Conheça as consequências

Parece uma questão de status quo, mas ser workaholic não é sinal de competência, e pode ser alerta de problema

Qualquer vício é prejudicial à saúde. E o limite entre paixão e adicção pode ser tênue. Celso Bazzola, diretor executivo da Bazz Consultoria de recursos humanos falou sobre as características de um workaholic e os problemas causados por esse hábito.

1. Quem é?

Constantemente trabalham mais de 12 horas por dia no escritório e ainda levam serviço para casa. Essa pessoa recebe constantemente críticas por ficar sempre de olho no celular e principalmente por checar mensagens a cada hora para ver se existe alguma pendência no trabalho.

2. Eu sou?

Segundo o especialista, é mais fácil localizar uma pessoa com esse problema do que tratar. “Hoje são constantes os casos de workaholics. Isso se percebe a partir do momento que a pessoa não consegue se desligar do trabalho, deixa de lado sua convivência social e se torna um trabalhador viciado e compulsivo. Portanto, mesmo fora de seu ambiente de trabalho cria um novo ambiente recheados de temas sobre seus negócios, não há situação que o faça se desligar do trabalho”.

Sintomas desse distúrbio são uma autoestima exagerada, insônia, mau-humor, impotência sexual, atitudes agressivas em situações de pressão e, muitas vezes, depressão.

3. Consequências

“Acredito que para empresa a situação traz mais desvantagens do que vantagens. Inicialmente pode ser interessante, pois a velocidade dos resultados é satisfatória, porém há um desgaste emocional natural do profissional, pois ele estará isolado e restrito ao tema trabalho. Isso faz com que ele bloqueie sua sociabilização, resultando em sérios transtornos futuros para sua vida”, diz Bazzola.

A partir disso, recentes estudos de casos clínicos em consultórios psicológicos e psiquiátricos apontaram que o vício em trabalho é similar à adição ao álcool ou cocaína. A situação pode ser tão grave que o trabalho, nesses casos, acaba se tornando uma obsessão doentia.

4. O limite

O caminho para combater esse problema é assegurar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Portanto, é preciso que o profissional busque valorizar mais os momentos de lazer e perceba que o descanso é fundamental para melhoria de resultados e busca de novas ideias que podem potencializar os resultados no trabalho.

5.Workaholic x Worklover

É importante sabermos diferenciar o amor ao trabalho do vício. Um worklover tem noção de que o excesso se refletirá em conflitos nos relacionamentos pessoais, além de proporcionar efeitos nocivos à saúde e bem-estar. Porém, existem profissionais que buscam entregar resultados e isso é positivo. Nesse sentido, é importante ter em mente que o fato de ser um workaholic não significa que o profissional seja mais produtivo. Pelo contrário, muitas vezes, vemos pessoas que não conseguem ter organização no seu dia a dia e acabam trabalhando mais tempo para entregar o mesmo resultado.

Leia Também

7 maneiras de melhorar seu relacionamento com o chefe no trabalho

7 maneiras de melhorar seu relacionamento com o chefe no trabalho

10 passos para produzir mais em home office

10 passos para produzir mais em home office

5 indícios de que você sofre com a síndrome do impostor

5 indícios de que você sofre com a síndrome do impostor

Saúde mental no trabalho: dicas para equilibrar-se

Saúde mental no trabalho: dicas para equilibrar-se

Exercícios ideais para aliviar a tensão no trabalho

Exercícios ideais para aliviar a tensão no trabalho

Curta nossa página

Siga no Pinterest